Manual de Instalação do Aquecedor Solar

Recomendações gerais - Parte 2

Para uma correta instalação do Aquecedor Solar, procure profissionais habilitados e que sigam corretamente, além dos itens contidos neste manual, a norma NBR 15569 Sistema de aquecimento solar de água em circuito direto Projeto e Instalação.

1.5 Hidráulica

Para a instalação do Aquecedor Solar, procure profissionais especializados e que sigam corretamente, além dos itens contidos neste manual, a norma NBR 7198 Projeto e execução de instalações prediais de água quente.

Recomenda-se que a instalação seja feita com tubos e conexões de cobre e suas ligas. Entretanto, podem ser empregados materiais alternativos, desde que sejam compatíveis com as pressões e temperaturas às quais o sistema estará sujeito durante sua vida útil e com as normas técnicas oficiais vigentes.

O reservatório térmico não pode ser ligado à tubulação alimentada diretamente pela rede pública de abastecimento ("água da rua"), sendo obrigatória a utilização de caixa d'água fria, respeitando-se os limites de pressão de operação para cada modelo de reservatório térmico. Não alimentar o reservatório térmico a partir da mesma tubulação que alimente válvulas de descarga.

Todo sistema dito "de baixa pressão", independentemente do tipo de circulação adotada (termossifão ou circulação forçada), deverá ser dotado de tubo de respiro ou outro dispositivo equivalente que permita a manutenção da pressão atmosférica no interior do reservatório térmico. Na tubulação de respiro não pode ser instalado nenhum tipo de registro ou válvula. O não atendimento a este requisito pode causar danos ao sistema e/ou danos materiais à propriedade.

Não instalar o sistema de aquecimento solar da Kisoltec em redes de água quente ou fria que contenham tubulações ou componentes a base de ferro, galvanizados ou outro tipo de material ferrítico. Isto causará um aceleramento da oxidação do reservatório térmico, diminuindo drásticamente a vida útil do equipamento e causando a perda da garantia.

Para evitar perda de temperatura da água aquecida (energia), é extremamente importante o isolamento térmico nas tubulações de água quente.

O reservatório térmico não deve ser abastecido com água direto da rua, devido à instabilidade de pressão, da mesma forma, a água fria utilizada nos misturadores também não deve ter ligação direta, pois a pressão entre a água fria e a água quente precisa ser a mesma, para que seja possível fazer a mistura.

Um sistema de dreno deverá ser instalado na entrada de água fria dos coletores, assim, sempre que for necessário drenar o aquecedor, basta abrir a torneira ou registro de gaveta instalado neste ponto.

Instalação dos drenos no coletor solar

Instalação do dreno no coletor solar.

1.6 Sistema de Aquecimento Auxiliar Elétrico

Todo sistema de aquecimento por energia solar pode utilizar um Sistema de Aquecimento Auxiliar (SAA), destinado a complementar o aquecimento da água nos dias com baixa insolação ou em situação de consumo de água quente além do dimensionado para o sistema.

Os reservatórios da Kisoltec utilizam dois tipos de sistemas de aquecimento auxiliar elétrico, sendo:

  • Reservatórios de Alta Pressão: o sistema auxiliar é composto de uma resistência elétrica e um termostato duplo de encosto. Este termostato possibilita que a temperatura da água seja regulada a um valor dentro da faixa de 45 a 75 °C. De fábrica os termostatos saem regulados para 45 °C.

    Esquema de ligação da resistência com termostato de encosto c/ reset para tanques alta pressão.

    Esquema de ligação da resistência com termostato de encosto c/ reset para tanques alta pressão Kisoltec.

    Os sistemas de alta pressão contam com um termostato de segurança, acoplado ao termostato de controle de temperatura, que desativa o sistema elétrico caso a temperatura da água ultrapasse os 80ºC. Em caso de ativação do termostato de segurança, será necessário um rearme manual (veja a localização deste botão de rearme no esquema de ligação acima). O acionamento deste termostato indica alguma anormalidade no SAA, devendo o usuário solicitar assistência técnica do instalador responsável.

  • Reservatórios de Baixa Pressão: o sistema auxiliar é composto de uma resistência elétrica e um termostato de encosto simples. Este termostato não possibilita um ajuste na sua temperatura de uso, ele aciona se a temperatura atingir 45 °C e desliga a 55 °C.

    Esquema de ligação da resistência com termostato de encosto simples para tanques de baixa pressão.

    Esquema de ligação da resistência com termostato de encosto simples para tanques de baixa pressão.

Os seguintes itens devem ser considerados na instalação do suporte elétrico do aquecedor solar Kisoltec

  • A ligação elétrica deve ser executada exclusivamente por profissional instalador capacitado. O usuário não deve permitir que crianças ou pessoas não habilitadas manuseiem equipamentos elétricos.

  • Antes de iniciar a instalação ou manutenção do SAA, certifique-se que o sistema esteja totalmente desligado.

  • Os componentes do SAA devem ser protegidos por disjuntores exclusivos e o fio terra deve ser instalado conforme definido na etiqueta de identificação do produto. A tabela abaixo contém informações úteis à seleção dos cabos e disjuntores para um SAA de 3000W, mas não substitui ou dispensa a consulta a um profissional habilitado. Lembrando toda a instalação deve seguir as normas técnicas aplicáveis, nesta situação seguir NBR 5410.

    Potência da resistência 3000 W
    Tensão de alimentação 200 a 240 V
    Disjuntor bipolar 20 A
    Cabos
    (Distância quadro/aquecedor e seção mínima recomendada)
    Até 25m 2,5mm²
    26 a 50m 4,0mm²
    51 a 100m 6,0mm²
    Acima de 100m 10,0mm²

    Para outras potências, consulte a Kisoltec.

  • Verifique a tensão elétrica antes de ligar o equipamento.

  • Acione o SAA somente se o reservatório térmico estiver cheio de água. Caso contrário, queimará a resistência elétrica do sistema.

É obrigatório o uso do disjuntor conforme especificado na etiqueta do reservatório térmico Instalações em que for evidenciado a ausência deste item estará descoberta da garantia. Qualquer dano ou falha ocasionado pelo sistema elétrico do reservatório não será de responsabilidade da Kisoltec se na instalação não for evidenciado a presença do disjuntor.

Recomendação de uso:
Em sistemas onde não se utiliza um CDT (controlador digital de temperatura) para controlar o acionamento do SAA, recomenda-se manter o disjuntor do SAA desligado, sendo seu acionamento feito pelo usuário somente quando houver necessidade de complemento de temperatura. Essa prática, em conjunto com uma boa regulagem do termostato, garante que não haja consumo desnecessário de eletricidade.

1.7 Colocando o sistema para funcionar

Proceda ao enchimento do sistema, abrindo os misturadores de consumo e depois abra a válvula de entrada de água fria para o Reservatório Térmico. Acompanhe o processo de carga d' água de modo que nos pontos de consumo comece a sair água. Quando o fluxo de água por esses pontos estiver constante e sem apresentar interrupções causadas por ar nas tubulações, feche todos os pontos de consumo e deixo o reservatório completar o seu enchimento. Em sistemas de circulação forçada, após a carga do reservatório acione a motobomba.

Certifique-se de que não haja vazamentos na tubulação e conexões e que todos os desníveis e declividades exigidos foram respeitados.

Remova a cobertura dos vidros dos coletores solares.

Em sistemas de circulação forçada, verifique a ligação e regulagem do CDT.

Como toda a água contida no Reservatório Térmico estará fria, mantenha o disjuntor do SAA desligado pelo menos até o primeiro aquecimento pela energia solar, evitando com isso seu acionamento desnecessário. Siga as recomendações descritas no item 1.6 deste manual.

“Somos apaixonados pelo nosso planeta e queremos torná-lo mais sustentável.“